COMO É FEITO

A tecelagem é uma técnica milenar de transmissão oral. Seus preceitos são os mesmos: um conjunto de fios verticais que, uma vez dispostos, não se pode mais mudar, entremeando um conjunto de fios horizontais, a trama, através do vai-vem das navetes. A técnica pode dar uniformidade a um grupo possibilitando o pertencimento do tecelão, ou destaque por meio da autoria.


Existem diversas técnicas de tecer, cada uma utilizando-se de um diferente tipo de tear. Existem teares de dois a doze pedais, teares sem pedais, com dois ou mais quadros, teares chilenos, mineiros, verticais, horizontais, de cintura.

Dependendo da origem da técnica, o tear pode variar, já que em todos os cantos da terra, talvez não simultaneamente, mas em algum momento da História, o tear foi inventado.

No Brasil, os escravizados trouxeram seus teares de dois pedais entre a parca bagagem. Em certas regiões de Minas Gerais, os europeus introduziram a técnica de quatro pedais a seu modo, ensinando a repetir sem criar, por meio de "receitas".

Os índios produziam complexos padrões apenas repetindo os mais velhos. A base da permanência da tecelagem no Brasil está calcada na oralidade e, consequentemente, na observação direta e na memória.


Algns fios são preparados em uma roca, antes de irem para o tear. A roca permite uma maior velocidade de fiado e produz um fio mais homogêneo e resistente.

A roca vale-se de uma roda acionada de diversas maneiras (movida em última instância com a mão ou com o pé) que faz girar o equivalente do fuso com certa velocidade e imprime torção ao fio.

Anteriormente à sua invenção, a pessoa que fiava tinha de juntar as fibras e enovelá-las, além de transmitir ao tecido a torção utilizando o fuso.


Em tecelagem, o urdume ou urdidura é o conjunto de fios dispostos longitudinalmente através dos quais a trama é tecida. Cada fio de urdume em um tecido é chamado de "urdume final".

O urdume é uma fibra tecida. A torção da fibra pode ser em "s" ou em "z". As direções das torções fazem com que os fios fiquem semelhantes as mãos; cada uma o inverso da outra. Inicialmente, as fibras eram de lã ou linho. Estas fibras produziam um fio suficientemente forte para serem mantidos sob tensão como urdume.

Com as melhorias da tecnologia de fiação durante a Revolução Industrial, tornou-se possível fazer fios de algodão de resistência suficiente para serem utilizados como urdumes.

Mais tarde, foram empregadas fibras artificiais ou sintéticas como o nylon ou o rayon. A trama é o fio que é tecido para frente e para trás através do urdume de confeccionar.

Fontes: Faculdade de tecnologia têxtil de Americana (FATEC) TCC disponível na biblioteca da Faculdade

É o processo de preparação do rolo de urdume, onde os fios de urdume são todos colocados paralelos em um rolo, feito em máquinas Urdideiras. Tecelagem é o ato de tecer, entrelaçar fios de trama (transversal) e urdume, ou urdidura, (longitudinal) formando tecidos.


Tear de pedal

O tear de pedal, em geral, aciona diferentes conjuntos de fios, formando padrões. Podem ter de dois a dez ou mais pedais. Os mais usados possuem quatro quadros com o urdume e seis pedais. Mais caro que o tear de pente-liço, é ideal para confecção de tecidos finos. O tear de pedais também produz tapetes e, neste caso, são bastante grandes.Chamamos de tear de padronagem aquele que garante a mesma técnica, porém é menor, ocupa menos espaço e os pedais são substituídos por "manetes", alavancas manuais que cumprem a mesma função. O tear de pedal faz tudo que o de pente-liço faz, mas a recíproca não é verdadeira.